quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Elas é Nós



Augusta, Graças a Deus

Além de atuar em alguns filmes e séries que a gente gosta muito, a atriz Guta Ruiz tem
uma característica que a gente adora nas mulheres: a legitimidade. Como Carol Jabor, ela também é nosso tipo de mulher.

Atriz parece ser uma profissão tão popular quanto modelo hoje em dia. Até aí, nada
demais se a comparação parasse na popularidade.
O problema é que muitas meninas acham que atuar é como “modelar”,basta ser magra, bonita e ter postura.
Ledo engano. O que faz uma atriz ser grande é a coragem. Engordar, emagrecer,
pintar o cabelo, ficar feia ou nua em cena...
Tudo pode acontecer. Claro que a beleza ajuda e acrescenta, mas não é fundamental.
O mais importante é aliar inteligência e talento à beleza, fazendo que não só os homens se encantem por ela, mas as mulheres e as crianças também.
Aos 33 anos, Guta Ruiz possui todos os atributos acima, e vai além. Ela passeia com desenvoltura pelos mais diversos personagens e, quando entra em cena, nos faz sentir uma mistura de admiração e amor que legitimam qualquer trabalho seu.
Nascida em Santos, litoral paulista, Guta resolveu investir na carreira quando
se mudou de Curitiba – onde morava desde os 14 – para São Paulo, em 2002. De
lá pra cá, participou de várias peças, entre elas o clássico espanhol de Garcia Lorca, A
Casa de Bernarda Alba. Elogiada pela crítica, a montagem abriu as portas para a atriz.
Após esse espetáculo, ela trabalhou com vários nomes do teatro paulistano e foi requisitada para alguns papéis no cinema, como Fim da Linha, de Gustavo Steinberg,
Encarnação do Demônio, de José Mojica Marins, Nossa Vida Não Cabe Num Opala,
de Reinaldo Pinheiros, e o ainda inédito Augustas, dirigido por Francisco Cesar
Filho, que foi rodado esse ano e tem estréia prevista para 2009.
No presente tão enfadonho como o que vivemos, em que celebridades se dizem artistas sem fazer arte alguma, assistir Guta representar, seja no teatro, no cinema ou na TV, dá uma esperança que já tínhamos dada por perdida.
Atualmente, é na TV a cabo que ela coloca banca com a personagem Renata, a chefona rica e com cara de poucas amigas da Alice, personagem título da excelente produção da HBO Brasil, dirigida por Karim Ainouz (Madame Satã e Céu de Suely), Sergio Machado (Cidade Baixa), Johnny Araújo (O Magnata) e Márcia Faria (co-direção de Carandiru).
“Também estou gravando a série 9MM, da Fox”, conta. Como coisa pouca é bobagem, Guta protagoniza o clipe do novo single de Marcelo D2, “Desabafo”, e recém estreou o projeto Confissões de Acompanhantes, um espetáculo de stand-up comedy, baseado em depoimentos reais de prostitutas.
Hipnotizar platéias e telas não é a única especialidade dessa santista torcedora do São Paulo. Guta escreve e produz alguns projetos pessoais e, quando possível, gosta de exercitar a tendência jornalística deixada na beira da estrada.
Formada em Artes Cênicas pela Faculdade de Artes do Paraná, ela cursou também a
faculdade de jornalismo, mas não chegou a se formar. Sua última empreitada nessa
área foi a apresentação dos dois programas sobre os bastidores da série Alice.

Nenhum comentário: